Curso de Graduação em Oceanografia
  • Pesquisas apontam novas perspectivas sobre evolução e biogeografia de peixes recifais

    Publicado em 10/05/2017 às 11:59

    Pesquisas apontam novas perspectivas sobre evolução e biogeografia de peixes recifais

    09/05/2017 18:08

    http://noticias.ufsc.br/2017/05/pesquisas-apontam-novas-perspectivas-sobre-evolucao-e-biogeografia-de-peixes-recifais/

    Uma visita, em 2015, de um pesquisador radicado na Austrália ao Laboratório de Biogeografia e Macroecologia Marinha (LBMM) Universidade Federal de Santa Catarina deu o pontapé inicial que resultou na publicação de dois artigos conexos na revista britânica Biological Reviews no início deste ano. Os trabalhos indicam novas perspectivas sobre a evolução e biogeografia de peixes recifais.

    O professor da UFSC Sergio Floeter, do departamento de Ecologia e Zoologia, explica que as pesquisas usaram como base as árvores filogenéticas, de milhões de anos, ou seja, a genealogia das famílias dos peixes. “A filogenia pode fornecer uma janela para o passado, permitindo explorar as origens evolutivas das linhagens, os seus atributos geológicos e suas afinidades biogeográficas ancestrais”.

    Floeter alinhavou com Peter Cowman, da James Cook University (Austrália), a produção de dois trabalhos, cada um resultando num artigo, com a colaboração de pesquisadores brasileiros e franceses, incluindo da Pós em Ecologia da UFSC. Em Phylogenetic perspectives on reef fish functional traits, cujo primeiro autor é Floeter e o último é Cowman, “são revelados os padrões relacionados às origens da diversidade funcional das espécies que vemos hoje nos recifes de coral, como por exemplo, a origem dos diferentes grupos tróficos”.

    Sérgio Floeter, no Laboratório. Foto: Henrique Almeida/Diretor de Fotografia da Agecom/UFSC

    No outro, The biogeography of tropical reef fishes: endemism and provinciality through time, são analisadas a idade das espécies endêmicas e a relação das províncias biogeográficas no passado. Neste artigo, cujo primeiro autor é Cowman e o último é Floeter, são exploradas relações, como por exemplo, a entre o Caribe e o Pacífico Oriental Tropical quando o Istmo do Panamá ainda estava aberto.

    O clássico da biogeografia, segundo Floeter, é fazê-la no tempo atual, relacionando a semelhança entre regiões, “quais estão aqui e quais estão lá”. O desafio do grupo de pesquisadores foi realizar o trabalho usando as árvores filogenéticas, onde os recortes de tempo são de milhões de anos. O fechamento do Istmo do Panamá “foi ótimo para os organismos terrestres, que puderam transitar entre a América do Norte e do Sul, mas na parte marinha, houve a quebra da fauna, com as espécies ficando separadas”.

    De acordo com Floeter, os dois trabalhos ajudam a entender melhor a diversidade funcional e a biogeografia do presente destas espécies, sabendo como ela foi ocorrendo na escala de tempo evolutivo. Ao reconstruir as relações passadas, os pesquisadores descobrem em que tempo as espécies foram se diferenciando e a origem da diversidade funcional. “Num dos casos que analisamos, o ancestral comum era generalista, comia o que tinha pela frente. Os mais novos foram se especializando, apropriando-se de um recurso que estava deixado de lado e então haveria menos competição”.

    Floeter cita como exemplo “duas espécies proximamente relacionadas que são funcionalmente bastante diferentes nos recifes: o Cephalopholis fulva, um predador de fundo, e o Paranthias Furcifer, um planctívoro de meia água, forneceram evidências de como a planctivoria evoluiu em peixes recifais”.

    Espécies são proximamente relacionadas, mas funcionalmente bastante diferentes. Foto: JP Krajewski/LBMM

    Mais informações no LBMM ou pelo e-mail Esta imagem contém um endereço de e-mail. É uma imagem de modo que spam não pode colher.

    Caetano Machado/Jornalista da Agecom/UFSC


  • III SEMANA ACADÊMICA DA OCEANOGRAFIA

    Publicado em 05/05/2017 às 14:03
    III Semana Acadêmica da Oceanografia (SEA) ocorrerá entre os dias 8 e 10 de maio nos auditórios do EFI (segunda e terça) e do CFH (quarta). Toda a programação e organização da SEA está sob responsabilidade dos graduandos do curso. A abertura do evento (segunda às 9 horas) será uma mesa redonda sobre o perfil do Curso e o resultado da avaliação do MEC, com a presença da Coordenação do Curso (coordenadora, subcoordenadora, coordenadores de Estágio, Embarque e TCC), do presidente do NDE e dos representantes discentes. Estão programadas palestras de professores, empresários, graduandos e pós-graduandos, relatos de experiências acadêmicas (estágios e intercâmbios), feira de profissões, visita ao Museu Oceanográfico da UNIVALI, apresentação de documentário e minicursos.


    Mais informações, entrem em contato com a graduanda Gabriela Decker Sardinha (gabidsardinha@gmail.com), organizadora do evento.

  • Programa ‘Bolsas Ibero-Americanas’ abre inscrições para alunos de graduação

    Publicado em 04/05/2017 às 14:24

    A Secretaria de Relações Internacionais da UFSC (Sinter) divulga a abertura de inscrições para o Programa “Bolsas Ibero-Americanas para estudantes de Graduação Santander Universidades”, conforme o Edital nº. 07/SANTANDER UNIVERSIDADES/SINTER/2017. O programa oferece bolsas de estudo aos estudantes de universidades conveniadas ao Santander, possibilitando a mobilidade destes entre os países Ibero-Americanos. Serão selecionados cinco estudantes regularmente matriculados nos cursos de graduação da UFSC para que recebam a bolsa, no valor de R$ 10.032,90(correspondente a €3.000,00, mediante conversão realizada na data de lançamento do programa, 08 de março de 2017), que será creditada ao estudante pelo Banco Santander para que realize a mobilidade entre o primeiro semestre de 2018 e o segundo semestre de 2018 em uma das universidades participantes (conforme o Edital).

    Para participar da seleção os candidatos devem realizar a inscrição no site da Sinter (por meio do sistema de inscrições online da UFSC) e no site do Santander até dia 9 de junho de 2017, sendo que a não inscrição em um dos sistemas fará com que a candidatura não seja processada. Além disso, o candidato deverá atentar para os “Princípios Gerais do Programa de Bolsas Ibero-Americanas para Estudantes de Graduação Santander Universidades“.

    Cronograma:

    Lançamento do Edital na página da SINTER 03 de maio de 2017
    Inscrições no site do Santander Até 09 de junho de 2017
    Inscrições no site da SINTER Até 09 de junho de 2017
    Divulgação do resultado preliminar 13 de junho de 2017
    Prazo para recurso 14 de junho de 2017
    Divulgação do resultado final da seleção Até 20 de junho de 2017
    Entrega na SINTER da documentação dos candidatos selecionados Até 23 de junho de 2017

    Clique aqui para acessar o Edital nº. 07/SANTANDER UNIVERSIDADES/SINTER/2017.

    Para realizar sua inscrição no sistema online da UFSC, clique aqui.

    Para realizar sua inscrição no site do Santander, clique aqui.


  • Apoio pedagógico aos estudantes abre inscrições nas áreas de Leitura e Produção Textual, Química, Física e Matemática

    Publicado em 05/04/2017 às 8:55

    O Programa Institucional de Apoio Pedagógico aos estudantes abre inscrições nas áreas de Leitura e Produção Textual, Química, Física e Matemática. Os encontros são semanais, com duração de duas a três horas, dependendo do módulo. Os módulos de Química, Física e Leitura e Produção Textual tem cerca de 6 a 7 encontros, com duração de um mês e meio. Os módulos de Matemática caminham juntos com as disciplinas de Cálculo, Pré-Cálculo e Geometria Analítica tendo, na sua maioria, a duração do semestre. Mais informações e inscrições na página: apoiopedagogico.prograd.ufsc.br.

     


  • Planeta.DOC apresenta documentário sobre limpeza dos oceanos no Auditório da Reitoria

    Publicado em 04/04/2017 às 16:48

     

    O Festival Internacional de Cinema Socioambiental Planeta.DOC apresenta sessão premiere do filme Uma Gota.DOC, na terça-Cartaz-Uma-Gotafeira, dia 4 de abril, às 18h30, no Auditório da Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis. A entrada é gratuita. Após a sessão, haverá um bate-papo com o diretor e produtor do filme, Márcio Gerba. Uma expedição de 120 dias partindo do Brasil, passando pelo Uruguai, pela Patagônia Argentina e Chilena, e chegando ao Peru, retrata, através de vídeos e fotos, palestras sobre educação ambiental, ações de limpeza de praia e entrevistas com profissionais da área abordando o tema “Lixo marinho, um problema Global”. O documentário aborda a responsabilidade individual sobre o consumo e o descarte de materiais, retirada de resíduos em locais de difícil acesso, um grande problema chamado micro lixo, impacto direto na morte de animais, a luta pela preservação dos oceanos e o que podemos fazer para mudar essa realidade.”

     

    Mais informações:
    Site Planeta.doc:
    Site Uma Gota.Doc
    Evento no Facebook Assista ao trailer do filme:

     

    https://www.youtube.com/watch?v=rmawsBwxjg4

     


  • Labclima promove 2º Ciclo de Palestra Climatologia na terça-feira, dia 11/04

    Publicado em 04/04/2017 às 16:44

    O LabClima, Laboratório de Climatologia Aplicada do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina PalestraMaurici(GCN/UFSC) promove seu 2º Ciclo de Palestras em Climatologia na terça-feira, dia 11 de abril, às 18h30, no Miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

    O palestrante convidado é o professor Maurici A. Monteiro, que abordará o tema “Sistemas Meteorológicos atuantes em Santa Catarina: frequência sazonal e anomalias”.

    Todos os participantes receberão certificados. As inscrições serão realizadas no local e dia da palestra.

     


  • TÉTIS – Empresa Júnior de Oceanografia

    Publicado em 04/04/2017 às 13:37

    CONVIDAMOS você para conhecer a nova página da TÉTIS – Empresa Júnior de Oceanografia da UFSC.

    http://tetisej.wixsite.com/tetis


  • Projeto de monitoramento ambiental conclui três anos de coleta de dados

    Publicado em 17/03/2017 às 12:11

    http://noticias.ufsc.br/2017/03/projeto-de-monitoramento-ambiental-conclui-tres-anos-de-coleta-de-dados/


  • UFSC é a sétima universidade entre as públicas do país com melhor índice geral de cursos do Inep

    Publicado em 10/03/2017 às 13:34

    http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/03/ufsc-e-a-setima-universidade-entre-as-publicas-do-pais-com-melhor-nota-do-indice-geral-de-cursos-do-inep-9743709.html


  • Pesquisadores da UFSC instalam primeira boia meteo-oceanográfica em Santa Catarina

    Publicado em 09/03/2017 às 13:02

    REBIO_ARVOREDOUma boia meteo-oceanográfica, a SiMCosta SC-01, está fundeada desde o dia 22 de fevereiro nas proximidades da Ilha do Arvoredo, interior da Reserva Biológica (Rebio) Marinha do Arvoredo, em Florianópolis. A instalação e manutenção da boia instrumentalizada é fruto de uma parceria entre o Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “Esta parceria é fundamental para o sucesso do programa de monitoramento de longo prazo na Rebio Marinha do Arvoredo”, salienta o coordenador nacional do SiMCosta e pesquisador do programa de pós-graduação em Oceanografia da UFSC (PPGOceano), Carlos Alberto Eira Garcia.

    De acordo com Ricardo Castelli Vieira, chefe da Rebio do Arvoredo, “os dados obtidos pela boia servirão para dar continuidade ao monitoramento de parâmetros oceanográficos realizado pela UFSC ao longo de 2014, 2015 e 2016, no âmbito do Projeto de Monitoramento Ambiental da Rebio Arvoredo e entorno (MAArE).” Andrea Freire, coordenadora da área de Oceanografia do MAArE, reforça a importância da instalação da boia para o desenvolvimento da pesquisa em oceanografia no estado: “Santa Catarina tem sido um lugar de muitas ocorrências de desastres naturais, todos relacionados à variabilidade oceanográfica e meteorológica. Agora teremos a possibilidade de observar essas variações.”

    A pesquisadora salienta que a instalação da boia SiMCosta SC-01 é inédita: “É a primeira vez que o estado tem uma boia tão eficiente. Já existiam boias com essas características em vários lugares, mas não em Santa Catarina.” Outra vantagem, segundo Andrea, é o fato de o equipamento estar instalado dentro de uma reserva biológica. “Nenhuma outra boia está instalada dentro de uma unidade de conservação no Brasil. Os dados coletados serão muito importantes.” A reserva Biológica Marinha do Arvoredo (Rebio do Arvoredo), onde atuou o MAArE, está localizada na região central do litoral catarinense, incluindo quatro ilhas — Arvoredo, Deserta, Galés e Calhau de São Pedro — e o ambiente marinho associado. A reserva engloba águas dos municípios de Florianópolis, Governador Celso Ramos, Porto Belo, Bombinhas e Tijucas, em Santa Catarina. É a única Rebio marinha existente nas regiões Sul e Sudeste do País.

    Na boia estão acoplados vários instrumentos e sensores que fornecem dados meteorológicos (vento, pressão atmosférica, temperatura, radiação solar, precipitação, umidade relativa e concentração de CO2) e oceanográficos (temperatura, salinidade, turbidez, concentração de CDOM, concentração de clorofila-a, oxigênio dissolvido e pH). Os dados obtidos pela SiMCosta SC-01 são transmitidos via satélite (meteorológicos) e por telefonia celular (oceanográficos), numa frequência horária, para servidor localizado na Universidade Federal do Rio Grande (Furg), instituição coordenadora do SiMCosta. Em seguida, os dados são disponibilizados on-line e gratuitamente no Portal SiMCosta.

    Sobre o SiMCosta

    O SiMCosta é um projeto que visa o monitoramento contínuo de propriedades meteorológicas e oceanográficas para fornecer informações ambientais e, ao longo do tempo, prover dados para estudos de impactos das mudanças climáticas ao longo da costa brasileira. O SiMCosta é coordenado pela Subrede Zonas Costeiras da Rede Clima e INCT para Mudanças Climáticas, com sede na Furg, e financiado pelo Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima), Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

    Mais informações no site do SiMCosta e do ICMBio ou pelo telefone